Câmara do Porto vai estabelecer acordo com táxis para transporte de idosos aos centros de vacinação

Porto
Porto

Información

A Câmara do Porto está a ultimar acordos com as duas centrais de táxis que operam na cidade, para apoiar o transporte de idosos aos centros de vacinação dos Agrupamento de Centros de Saúde do Porto [ACES] Ocidental e Oriental. A novidade foi dada esta manhã por Rui Moreira, durante a reunião de Executivo Municipal, e confirmada pela vereadora dos transportes Cristina Pimentel.

“Estamos em contacto com as duas centrais de táxi para que sejam parte ativa no transporte de e para os centros de vacinação”, certificou Cristina Pimentel, adiantando que os acordos estão, neste momento, “a ser finalizados”. Além disso, adiantou a responsável, no âmbito do “plano de micromobilidade” para os centros de vacinação, também foi feito “o reforço de algumas linhas da STCP”.

A informação surgiu na sequência de uma recomendação verbal do vereador do PSD, Álvaro Almeida, que solicitava que a Câmara, nesta fase, para além da colaboração que já tem prestado aos ACES no processo de vacinação, pudesse também apoiar a deslocação dos idosos aos centros de vacinação. “Muitas vezes são chamados para a própria tarde ou para o dia seguinte e não têm facilidade em encontrar transporte. Pode tornar-se uma situação stressante, e por isso era preciso apoiar com o transporte e não só”, referiu o vereador social-democrata.

O presidente da Câmara do Porto disse estar “absolutamente de acordo” com a recomendação, e considerou que a parceria a ser estabelecida vai ao encontro dessa necessidade, além de ser "uma forma de apoiar o setor dos táxis está a passar por uma grande crise. É uma situação, se quisermos, win-win [situação vantajosa para ambas as partes]", comentou.

Município também vai ceder Escola do Sol

Acerca desta matéria, Rui Moreira vincou que o Município do Porto tem colaborado ativamente com os dois ACES da cidade, de forma a dar resposta a todas as solicitações, à medida que as vacinas vão chegando à cidade. Além de já ter disponibilizado a Escola António Aroso ao ACES Ocidental, e de ter apoiado o ACES Oriental com a montagem de uma estrutura para o recobro, nas instalações da PSP em frente ao Centro de Saúde de Vale Formoso (isto porque quem é vacinado tem de aguardar 30 minutos no local para despistagem de efeitos adverso), a Câmara do Porto vai também disponibilizar a Escola do Sol, na zona da Sé, informou o autarca.

“Estamos a atuar de duas formas: a trabalhar com os ACES para capacitar a resposta, e a pensar como podemos fortalecer essa capacidade, que ainda é ténue, quando chegar a vacinação em massa”, assinalou Rui Moreira, sublinhando que o importante “é não se perder a oportunidade de vacinação, no caso de o Porto, de um dia para o outro, receber cerca de 3.000 vacinas”.

Atualmente, a média de administração diária no concelho do Porto ronda poucas centenas de vacinas, por vezes até menos, mas o autarca pretende ter tudo preparado para que, no caso de chegarem muitas vacinas de uma só vez, "não sejam desperdiçadas por falta de capacidade”.

Também o vereador da Habitação e Coesão Social, Fernando Paulo, sinalizou que a articulação estabelecida entre o município, os ACES e ARS-Norte tem sido constante, e que todas as semanas é feito um ponto da situação na Comissão Municipal de Proteção Civil, de que são membros estas e outras instituições da cidade.

“O que nos foi pedido é que houvesse menos proatividade nesta fase. Ou seja, tudo o que tem sido solicitado à Câmara do Porto em termos de recursos que identificam ser necessários, momento a momento, temos apoiado”, elucidou o vereador, reforçando aquilo que Rui Moreira já havia referido, de que foi promovida uma visita à Escola do Sol, para que, dentro em breve, também possa servir como estrutura de apoio à vacinação dos centros de saúde.

O contacto com pessoas em situação de isolamento, que “muitas vezes têm dificuldade em responder aos SMS”, constatou Rui Moreira, também está garantido. O cruzamento de informação com o programa municipal Porto Importa-se e com Chave de Afetos tem facilitado esses contactos, assegurou, por seu turno, o vereador Fernando Paulo.

A autarquia cedeu ainda três viaturas ligeiras aos ACES, “para auxiliar no processo de testagem e vacinação dos lares, que em algumas situações excecionais estão a fazer deslocação ao domicílio”, acrescentou o mesmo responsável.

Além disso, as Juntas de Freguesia têm vindo a associar-se ao processo de vacinação, e tanto a Junta de Freguesia de Campanhã como a Junta de Freguesia do Bonfim já manifestaram a disponibilidade em ceder os respetivos auditórios, informou o Executivo Municipal.

Centro de vacinação drive-thru está preparado há quase duas semanas no Queimódromo

Rui Moreira recordou que, desde o dia 10 de fevereiro, o município disponibilizou um centro de vacinação drive-thru no Queimódromo, com o apoio da Unilabs Portugal. O modelo pioneiro, que já foi aplicado para a testagem que se mantém no mesmo espaço, possibilita que as pessoas sejam vacinadas sem terem de sair do carro.

“Temos ainda mais duas situações previstas: um walk-in nos Jardins do Palácio de Cristal e outro drive-thru no antigo parque de recolha da STCP em São Roque”, descreveu o presidente da Câmara do Porto.

“O Governo quer até ao final do verão ter cerca de 70% população vacinada, com as duas doses. Isto tem de corresponder a um esforço de vacinação absolutamente titânico, de cerca de 100 mil vacinas por dia”, concluiu.

Leer también

publicado 23/02/2021

Mapa

Ciudad Online

Escolha o Idioma