A História do Azoto, bom em pequenino e mau em grande

Parque das Nações, Pavilhão do Conhecimento - Lisboa

AVISO
Artigo já terminou no dia 05/12/2018
A História do Azoto, bom em pequenino e mau em grande

05 Dez 2018 (Parque das Nações, Pavilhão do Conhecimento)

Dia 5 de dezembro será feita a apresentação do Livro, no Pavilhão do Conhecimento às 18h00, que conta a história do Azoto de um modo lúdico e acessível de forma a que as crianças, a partir do 3º ciclo, comecem a entender qual a sua importância no seu dia-a-dia.

O Livro "A história do azoto, bom em pequenino e mau em grande", é da autoria da investigadora Vanda Brotas Gonçalves e conta com ilustrações de Rui Sousa. 

Nesta apresentação, será feita a leitura do livro por parte de vários convidados.

Esta iniciativa é uma parceria entre a Ciência Viva e o Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais (CE3C) da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. 

A entrada é livre, carece apenas de inscrição prévia em 

https://tinyurl.com/ycndw2ho

Este livro, de Vanda Brotas Gonçalves, foi produzido no contexto do Projeto Europeu NitroPortugal que pretende lançar a reflexão pública sobre consequências do excesso de Azoto, falando sobre as suas duas faces – o papel essencial para a vida e as consequências do seu excesso no ambiente.

Ainda, no âmbito do projeto “NitroPortugal” foi apresentado, o Jogo Nitrosmash, no Marker Art, um espaço de exposição, apresentação e discussão de projetos ligados à New Media Arte e à Tecnologia. Este jogo Arcade interativo, para Androide, desenvolvido para adultos e crianças, tem como objetivo mostrar de uma forma lúdica a importância do Azoto na nossa vida.

De lembrar que, está a decorrer a 3.ª edição do The New Art Fest até ao final de Novembro, no Museu de História Natural em Lisboa.

Onde todas as iniciativas, decorrem num cenário imersivo de realidade virtual, sendo possível, num filme em 3D perceber quais são os reais efeitos do excesso de azoto no ambiente. 

Este tema, do azoto (nitrogénio), está inserido no âmbito do 6º Workshop científico do projeto europeu H2020 “NitroPortugal” e que tem como objetivo chamar a atenção de todos, sem exceção, sobre os problemas que o excesso de azoto (nitrogénio) pode causar no dia-a-dia de cada um.

São exemplos, a poluição da água com nitratos que inviabiliza o seu uso normal, as chuvas ácidas que destroem florestas, a emissão de gases com efeito de estufa 300 vezes mais potentes do que o dióxido de carbono que contribuem para a alteração climática, a formação de partículas finas que traz problemas respiratórios graves, a perda de biodiversidade, etc. 


Reduzir a pegada de azoto 

Investigadores do Instituto Superior de Agronomia desenvolveram um website – www.pegadadoazoto.pt – que permite ao cidadão calcular a sua pegada de azoto, baseado em informação sobre comportamentos de consumo.

É importante que cada um de nós reforce pequenos gestos diários, contrariando uma atitude excessivamente consumista.


O Projeto "NitroPortugal - Strengthening Portuguese research and innovation capacities in the field of excess reactive nitrogen" é um projeto europeu H2020, coordenado pelo Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa, em parceria com a Faculdade de Ciências da mesma UNiversidade, o Natural Environmental Research Council, Centre for Ecology and Hydrology de Edimburgo, Reino Unido e a Aarhus University - Dept. Agroecology, da Dinamarca.

Este projeto, da responsabilidade da Prof. Cláudia Marques-dos-Santos Cordovil, visa realizar o diagnóstico dos níveis de poluição azotada na água e no ar e calcular o seu impacto na emissão de gases com efeito de estufa, nos solos e ecossistemas e biodiversidade em Portugal. 

publicado 30/11/2018

A História do Azoto, bom em pequenino e mau em grande
05 Dez 2018

Alameda dos Oceanos(Parque das Nações, Pavilhão do Conhecimento)

Tours e Experiências

Comentários

Reservas com as melhores tarifas