Gruta do Poço Velho reabriu

Cascais
Cascais

Informação

No âmbito da Semana do Município, o Presidente da Câmara Municipal de Cascais inaugurou as obras de reaqualificação dos acessos à Gruta do Poço Velho, no centro da vila, e descerrou uma placa evocativa da obra do Engº Abreu Nunes que nos anos quartenta as identificou e preservou.

Carlos Carreiras falou sobre as diferentes identidades que diferenciam Cascais, e que o homenageado conhecia bem, valorizando por isso todo o território.

"Cascais fica mais enriquecida" com a reaqualificação deste monumento nacional, disse, acrescentando: "Temos agora um problema por resolver. Toda a gente tem a expectativa de que as grutas vão ficar abertas, mas por enquanto isso não vai acontecer", explicando que se aguardam autorizações da Direção Geral do Património relativas às melhorias a introduzir no interior da gruta.

O Presidente da CMC agradeceu à família do homenageado a presença e o fato de ter disponibilizado o manuscrito do Engº Abreu Nunes que permitiu à autarquia editar a obra "Para ir à Romaria".

Na cerimónia falou ainda um neto do Engº Abreu Nunes que partilhou memórias sobre o seu antepassado e agradeceu a homenagem prestada pela autarquia à sua memória.

Na Semana do Município, a autarquia reabriu, por um dia, a gruta “onde nasceu Cascais”, para uma visita guiada aos mais curiosos, antes de a voltar a encerrar para concluir as obras de melhoramentos no seu interior.

O Vereador João Aníbal Henriques revelou a sua "grande emoção" pela melhoria do monumento, junto ao qual passou a juventude, e disse que “a Gruta do Poço Velho vai ter em breve um circuito de visitação, com passadiço, o que permitirá levar as pessoas pela sua parte mais interessante, sem prejudicar ou ameaçar nada da estrutura deste Monumento Nacional”.

João Aníbal Henriques adiantou que, quando acaba o passadiço, não vai terminar a visita, já que um inovador sistema de iluminação permitirá ver mais alem do passadiço, sem estragar a necrópole. “Ver as outras galerias, dezenas de detalhes, todos os locais com estalactites e estalagmites, em profundidade e em escala, garantindo segurança, conforto e mostrando o que de melhor existe neste incrível espaço parado no tempo”, sublinhou.

A presença do Homem no território do concelho de Cascais remonta ao Paleolítico, na chamada pré-história da Humanidade. Oficialmente, o concelho celebra 657 anos, mas os “primeiros cascalenses” habitaram a região numa época compreendida entre 10.000 a.C. e 4.000 a.C.. Desse período ainda subsistem vestígios arqueológicos, nomeadamente na Gruta do Poço Velho, situada no coração da vila, principalmente do período Neolítico. S.R.S. 

Video

Leia Também

publicado 08/06/2021

Mapa

Cidade Online

Escolha o Idioma