Artigo já terminou no dia 29/05/2022
29 Abr 2022 » 29 Mai 2022

Ouro e Prata na Real Irmandade do Senhor Bom Jesus da Cruz

Paços do Concelho de Barcelos - Barcelos
Largo Dom António BarrosoPaços do Concelho de Barcelos

Informação

Abre amanhã às 16h00, na Sala Gótica dos Paços do Concelho, a exposição “Ouro e Prata na Real Irmandade do Senhor Bom Jesus da Cruz”, que revela um espólio único, pertencente ao Templo do Senhor Bom Jesus da Cruz, e delicadamente cuidado pela Real Irmandade do Senhor Bom Jesus da Cruz.

Esta exposição permite fazer uma viagem pela história, com mais de 500 anos. Começa com o milagre da Santa Cruz, ocorrido em 1504, onde há relatos que João Pires (Sapateiro na vila) teria encontrado no chão uma cruz negra, próximo do Campo da Feira. O milagre foi notícia e começou uma grande devoção. O local onde apareceu a cruz terá sido protegido com uma estrutura que viria a ser aumentada com a chegada de uma imagem do Senhor Bom Jesus da Cruz, em 1505, vinda da Flandres. Esta peça nunca sai do templo, por isso não está aqui, pois reza a lenda que, se alguém a tirar, ela aumenta tanto que não consegue voltar a entrar no templo.

No século XVII, há registo de muitos donativos para se fazer um templo maior, um dos principais beneméritos foi Inácio da Silva Medela, (1ª tela em exposição), que nasceu em Barcelos, mas foi para o Brasil onde se tornou um homem de negócios abastado. Não só doou verbas avultadas para o Templo como também financiou imagens (como a Pietá que iremos ver), instituiu o coro, financiou a Custódia…

As obras no novo Templo terão começado em 1705 e, daí para a frente, foi sendo enriquecido.

Obviamente que o templo perdura até hoje, com o espólio magnífico que agora se mostra, porque desde cedo vários barcelenses assumiram o papel de cuidadores e perpetuadores da devoção ao Senhor Bom Jesus. Este grupo começou por chamar-se Confraria da Santa Vera Cruz, depois Irmandade do Senhor Bom Jesus da Cruz e mais tarde Real Irmandade. A palavra Real é acrescentada quando a Irmandade convida para o cargo de juiz perpétuo o Rei.

Um dos juízes da Real Irmandade, que terá aceitado vir a Barcelos conhecer o templo e a sua devoção, foi o príncipe consorte D. Fernando II, 2º marido da Rainha D. Maria II, em exposição.

Seguem-se na exposição as vestes; primeiro a opa que o Provedor usa nas procissões, com a sua vara de prata. Destaque para o emblema da irmandade bordado a fio de ouro. Depois uma casula, das muitas que existem no espólio, também ela bordada a fio de ouro.

Segue um apontamento com escultura barroca, o Santo Inácio de Loiola que estaria no coro financiado pelo Inácio da Silva Medela (daí dizer-se que a imagem “Inácio” é uma homenagem ao benemérito); N.ª Sr.ª da Conceição e uma Virgem Mártir Relicário.


Andor do Senhor dos Passos integralmente restaurado

O conjunto mais emblemático da exposição é o andor com o Senhor dos Passos. A imagem foi feita em Roma, por Giuseppe Berardi, em 1875, e foi restaurada agora. Também o andor foi restaurado. Especial atenção para os resguardos do andor, restaurado pelas Carmelitas do Mosteiro de Bande (Carmelitas do Carmelo do Porto), que conseguiram substituir o pano de fundo colocando-lhe as aplicações originais, feitas com fio de prata e ouro. Um trabalho de excelência.

Segue-se um percurso como se estivéssemos na Quaresma. A Pietá – uma escultura magnífica do século XVIII, que podemos encontrar normalmente no altar-mor do Templo. O toro de madeira em que foi esculpida foi enviado do Brasil por Inácio da Silva Medela.

O esquife com o Cristo Morto também usado na procissão. São duas peças magníficas.

Em 1734, fez-se a encomenda de uma custódia para o Templo do Senhor Bom Jesus da Cruz, financiada por Inácio da Silva Medela. A autoria é do mestre ourives António Ferreira que trabalhou a peça de ourivesaria em prata cinzelada, dourando a esfera e a lúnula.

Seguem-se várias peças de ourivesaria usadas nas cerimónias litúrgicas. (Tem as legendas e funções na parede do lado direito).

Conclui-se este ciclo da Paixão com Cristo Ressuscitado, uma imagem do século XVIII.

A visita à exposição termina com a peça do Santo Lenho. Uma cruz de prata que será das mais antigas que existem no Senhor da Cruz. (Santo Lenho significa que é um relicário onde está um pedaço original da Cruz de Cristo).

O milagre de 1504 ainda hoje se comemora, aliás, está a ser comemorado, com a Festa das Cruzes.

Leia Também

publicado 28/04/2022

Mapa

Paços do Concelho de Barcelos
29 Abr 2022 » 29 Mai 2022

Cidade Online

Escolha o Idioma