É nas imediações de Lisboa que se cultivam três dos vinhos portugueses com mais história e tradição. A proximidade da capital, do Oceano Atlântico e do Estuário do Tejo traçou o passado, o presente e o futuro das regiões vitivinícolas de Bucelas, Colares e Carcavelos.

Um dos problemas destas três micro-regiões é o de estarem sujeitas à pressão urbanística típica das áreas de influência de uma grande metrópole. Em Bucelas, a milenar cultura da vinha faz-se de forma invulgar, distribuindo-se pelas várzeas do rio Trancão e da ribeira da Bemposta, o que empresta aos seus vinhos um carácter inimitável.

A região de Colares, com deslumbrantes vistas para o mar e para a Serra de Sintra, é ainda mais "estranha". As vinhas crescem e estendem-se pelo chão de areia, desenhando gigantescos polvos vegetais que dão à viticultura local uma especificidade única no mundo.

Finalmente, Carcavelos, com as suas colinas suaves e clima temperado, é berço daquele que já foi um dos mais afamados vinhos generosos portugueses. As vicissitudes da história e do desenvolvimento limitaram a cultura da vinha a uma expressão residual.

A proximidade de Lisboa, as belezas naturais do Estuário do Tejo, a atracção do mar e das praias atlânticas, a força telúrica e os muitos encantos da Serra de Sintra dão aos visitantes pretextos mais do que suficientes para uma visita demorada.