Museu da Água da Epal - Passeios Lisboa

Lisboa
Rua do Alviela, 12 (Lisboa),1170-012 Lisboa (Lisboa)
Site Enviar E-mail
É proprietário desta empresa? Clique para Editar

Informação

O Museu da Água da EPAL reúne e dinamiza um conjunto de monumentos e edifícios, construídos entre os séculos XVIII e XIX, que representam um importante capítulo da história do abastecimento de água à cidade de Lisboa. O Aqueduto das Águas Livres e o reservatório da Mãe d’Água das Amoreiras, ambos monumentos nacionais, o reservatório da Patriarcal, as galerias subterrâneas do Aqueduto das Águas Livres e a Estação Elevatória a Vapor dos Barbadinhos constituem o Museu da Água e integram o roteiro histórico, patrimonial, tecnológico e científico da Água.
Estação Elevatória a Vapor dos Barbadinhos - Renovação da exposição permanente
A Estação Elevatória a Vapor dos Barbadinhos esteve em funcionamento entre 1880 e 1928. Atualmente preserva as antigas máquinas a vapor e as suas bombas, testemunhos enriquecedores da arqueologia industrial.
Em 2010, o edifício da estação elevatória a vapor foi classificado como Conjunto de Interesse Público.
Em Outubro de 2014, o Museu da Água inaugurou no edifício da estação Elevatória a Vapor dos
Barbadinhos uma renovada exposição permanente que oferece ao público uma abordagem multidisciplinar sobre o elemento água.

A nova Exposição Permanente do Museu da Água aborda a temática da água nas vertentes da história, da ciência, da tecnologia e da sustentabilidade convidando o visitante a explorar conteúdos como a presença da água no planeta, a história do abastecimento de água a Lisboa, o ciclo hidrológico, o ciclo urbano da água, a poluição da água, a pegada hídrica, entre outros.

A nova exposição permanente permite ainda um melhor entendimento sobre a relação dos espaços que constituem o Museu da Água.

O Aqueduto das Águas Livres
Com o início da construção em 1731, por determinação régia, é considerado uma obra notável de engenharia hidráulica e está classificado como Monumento Nacional desde 1910.

No total, o sistema do Aqueduto das Águas Livres, dentro e fora de Lisboa, atingia cerca de 58 km
de extensão em meados do século XIX, tendo as suas águas deixado de ser aproveitadas para consumo humano a partir da década de 60, do século XX.

A extraordinária arcaria do vale de Alcântara, numa extensão de 941m, é composta por 35 arcos, incluindo, entre estes, o maior arco em ogiva, em pedra, do mundo, com 65,29 m de altura e 28,86
m de largura.

Reservatório da Mãe d'Água das Amoreiras

Projectado em 1746 e terminado em 1834, a Mãe d’Água das Amoreiras é um reservatório destinado a recolher e distribuir a água aduzida pelo Aqueduto das Águas Livres. Com a capacidade de 5.500 m3, tem 7,5 metros de profundidade. Na cobertura do monumento existe um terraço com uma vista deslumbrante de Lisboa.
Actualmente o reservatório da Mãe d´Água das Amoreiras tem patente uma exposição temporária - A Água no Azulejo Português do Século XVIII – que resulta de uma parceria entre a EPAL e a Direcção Geral do Património Cultural. Os painéis de azulejos alusivos à água, alguns expostos pela primeira vez, pertencem à colecção do Museu Nacional do Azulejo e estarão em exibição até junho de 2015.
Instalado no subsolo do jardim do Príncipe Real, o Reservatório da Patriarcal, também denominado por Reservatório da Praça de D. Pedro V, foi projectado em 1856, integrado no projecto de abastecimento de água a Lisboa do engenheiro francês Louis-Charles Mary.

Reservatório da Patriarcal


Programado para abastecer a zona baixa da cidade de Lisboa, este reservatório
foi construído entre 1860 e 1864. A sua forma octogonal coincide com a do
polígono representado pelo gradeamento de ferro em volta do lago que está
localizado sobre o depósito, no centro do jardim do Príncipe Real.

Moradas do Museu da Água:- Estação Elevatória a Vapor dos
Barbadinhos


Exposição permanente do Museu da Água
Rua do Alviela, 12
1170-012 Lisboa

- Galerias Subterrâneas - Galeria do Loreto (percursos visitáveis com marcação
prévia)

Reservatório da Patriarcal ao miradouro de São Pedro de AlcântaraReservatório da Patriarcal à Rua do Século  Terça- feira a Sábado | 10h-12.30h/13.30h-17.30h (encerra aos Feriados)
 
Informações: 218 100 215 | mda@epal.pt
Ver Preçário Aqui: http://www.epal.pt/EPAL/menu/museu-da-água/informações-úteis/preçário
Visitas guiadas (por marcação para o tel. 218 100 215)
    À Galeria do Loreto
    (entrada pelo Reservatório da Patriarcal no Jardim do Príncipe Real)  

    Parte integrante do sistema do Aqueduto das Águas Livres, é a Galeria do Loreto, cuja construção se iniciou em 1748, e que está disponível ao público numa extensão de 410 metros, ligando o Reservatório da Patriarcal construído entre 1860 e 1864, ao miradouro/jardim de São Pedro de Alcântara. O público terá agora oportunidade de percorrer parte de uma das galerias subterrâneas da cidade.  
    Preço: 5€
    Horário:  6ª feira às 15h e últimos Sábados do mês às 11h mediante marcação.
    NOTA: Tem visitas guiadas independentemente no nº de pessoas inscritas
    Aqueduto das Águas Livres (travessia do Vale de Alcântara)
Visitas guiadas ao público em geral no 1º sábado de cada mês, às 11h Preço: 5€

Outras Informações

Reservatório da Mãe d'Água das Amoreiras
Praça das Amoreiras, nº 10
Lisboa
Reservatório da Patriarcal
Jardim do Príncipe Real
Lisboa
Aqueduto das Águas Livres
Calçada da Quintinha, nº 6
a Campolide

Características


Marcas


Experiências para a sua viagem

Temos várias experiências para uma visita única

Cidade Online

Escolha o Idioma