7.4

Castro Verde é uma lindíssima e histórica vila Alentejana, sede de concelho, situada no coração do chamado “Campo Branco”, por entre as planícies do Alentejo que encostam à serra do Caldeirão.

A sua essência é maioritariamente rural, e assim se tem mantido ao longo dos séculos, com campos cultivados e de pastagens a perder de vista, e antigas explorações de minérios que ajudaram a fixar populações desde cedo.

Castro Verde tem sido ocupada pelo homem desde tempos remotos, marcada pela presença de comunidades humanas que teriam na exploração mineira e na pastorícia as suas principais actividades. Encontram-se vestígios destas antigas ocupações por toda a região, como o famoso Silabário da Espanca (pedra gravada com caracteres de origem fenícia, dos séculos V e IV a.C., que terá servido como suporte para ensinar um dos mais antigos abecedários conhecidos na Europa), ou os achados do Castelo de Montel, ou mesmo o Castro de Castro Verde, provavelmente habitado durante a Idade do Ferro.

A ocupação Romana foi deveras importante para a região, mormente devido à proximidade do porto fluvial de Mértola e às minas de Aljustrel, como se pode observar em Santa Bárbara de Padrões e nos vários vestígios de “villas” romanas existentes por todo o concelho
Foi perto da vila de Castro Verde que, em 1139, se travou a lendária Batalha de Ourique, quando Dom Afonso Henriques derrotou os mouros e se tornou o primeiro Rei de Portugal.

O fervor religioso de Castro Verde está presente nos seus importantes monumentos, que demonstram igualmente a ascensão da agricultura e pecuária na região, como é visível na Basílica Real ou Igreja Matriz do século XVI, a Igreja das Chagas do Salvador (século. XVII), a Capela da Misericórdia e os muitos templos que se podem encontrar nas redondezas da vila, como a Igreja de São Miguel dos Gregórios e a Ermida de São Pedro das cabeças, entre muitos outros.
Vale a pena conhecer o interessante Museu da Lucerna com um importante espólio Romano, ou visitar o Centro de Educação Ambiental do Vale Gonçalinho que centra a sua atenção na avifauna local.

Vila bem Alentejana, conserva nas suas tradições parte da sua essência, como se pode observar nas suas peças típicas artesanais, como trabalhos de tecelagem, buínho e cerâmica.

Anualmente em Outubro realiza-se a Feira de Castro, de origens medievais, reunindo um grande número de visitantes e actividades.

Comentários

Já pensou onde quer ir na próxima viagem?.
Encontre aqui o Alojamento ideal para si!