Catedral de Lamego

8.1

Uma sucessão de estilos de várias épocas percorre a fachada e o interior da Sé Catedral de Lamego e, no entanto, o conjunto não deixa de impor uma sensação de beleza e de monumentalidade.
O elemento mais antigo que se pode ver reside nas janelas da torre, com capitéis lavrados, que constituem belos exemplares do estilo românico do séc. XII. No século de Quinhentos o Bispo D. Manoel de Noronha mandou acrescentar a parte de cima, deixando como selo o seu escudo de armas. No mesmo século construiu-se a notável frontaria, organizada num triplo pórtico, onde se conjugam elementos do Renascimento e do gótico flamejante, formando um conjunto de grande beleza. Da mesma época, o claustro ornamentado de pequenos e elegantes arcos constitui exemplo de arquitectura de transição do Gótico para o Renascimento. Na capela de São Nicolau encontra-se o túmulo do bispo fundador.

No interior do templo impera o estilo barroco do séc. XVIII. Em 1738, Nicolau Nasoni recebeu a encomenda de pintar os berços das abóbadas que rematam a estrutura. Nos frescos muito coloridos e bem conservados aprendiam os crentes que não sabiam ler nem escrever a conhecer os episódios do Antigo Testamento (a criação do homem, o pecado original, a infância de Moisés, o sacrif¡cio de Abraão e outras passagens). Na capela-mor, um retábulo setecentista de mármore e dourados e dois belos órgãos datados de 1753.

Comentários

Já pensou onde quer ir na próxima viagem?.
Encontre aqui o Alojamento ideal para si!