8.2

A bonita Ilha Graciosa, intitulada de Ilha Branca por Raul Brandão, situa-se no Grupo Central do maravilhoso Arquipélago dos Açores, distando da vizinha Ilha de São Jorge 37 km, e ocupando uma área de cerca 62km2, com 12,5 km de comprimento e 8,5 km de largura máxima. Esta é Ilha menos acidentada geograficamente de todo o Arquipélago, dona de paisagens de grande deslumbre e de um património arquitectónico, humano e natural de grande valor.

As datas de descobrimento do Arquipélago dos Açores são uma incógnita, existindo correntes históricas que afirmam já virem designados em mapas Genoveses desde 1351, contudo foi a partir de 1431 que as Ilhas começaram a ser povoadas.
Pensa-se que a Ilha Graciosa terá sido descoberta por volta de 1450, provavelmente por navegadores vindos da ilha Terceira, que pela sua beleza natural se terão apaixonado, sendo maioritariamente povoada por naturais das regiões da Beira e do Minho, do continente Português, e também da Flandres.

Local de férteis terrenos, desde cedo foram inseridos novos cultivos, trazido gado para pastagem e plantados vários campos de vinha, realizando-se as trocas comerciais com a Ilha Terceira, dona de um importante e movimentado porto marítimo. A Graciosa, dada a sua baixa altitude e costa facilmente aportável, foi alvo de ataques Piratas e Corsários, sofrendo também diversas catástrofes naturais como sismos e tempestades, que em muito a prejudicaram, contudo o crescimento da Ilha foi acontecendo, fixando uma população considerável.

A Graciosa encanta pela sua beleza natural, pela sua arquitectura tradicional de casario alvo e povoamento disperso , que contrasta com os tons escuros da herança vulcânica e o basalto, o verde dos campos de cultivo e pasto, o azul profundo do vasto Oceano Atlântico que a circunda. O património natural conta com pérolas como as Furnas do Enxofre, um fenómeno vulcânico, com uma lagoa com 130 metros de diâmetro e 100 de profundidade de águas quentes e sulfurosas no interior de uma gruta, e a da Maria Encantada,; os Miradouros naturais no Monte da Ajuda, sobranceiro á bonita vila de Santa Cruz, e da Caldeirinha; as afamadas Termas do Carapacho, indicadas para o tratamento de doenças reumáticas e da pele; As Serras Branca e Dormida; ou a fantástica Reserva Florestal Natural da Caldeira da Graciosa.

Muito mais há para conhecer, ver e apreciar nesta pequena e “graciosa” Ilha, como o Museu Etnográfico que melhor demonstra o estilo de vida rural e a história da Ilha ao longo dos tempos, bem como os muitos monumentos religiosos, rurais e sociais que a Graciosa oferece.

Terra de tradição, férteis solos e pastagens e a influência do rico Oceano Atlântico, na ilha Graciosa a Gastronomia típica reúne pratos de excepção com a melhor carne, peixe, marisco, vegetais, sendo também famosa pela sua pastelaria e doçaria, com as Queijadas e os Pastéis de Arroz, entre outras iguarias, tudo regado com os apreciados vinhos brancos e aguardentes velhas que aqui se produzem.

Comentários

Já pensou onde quer ir na próxima viagem?.
Encontre aqui o Alojamento ideal para si!