8.3

Lamego é um dos mais importantes centros urbanos da região do Douro. Muito antes da fundação da Nacionalidade já as terras de Lamego eram povoadas e constituíam um ponto de passagem importante nos fluxos e trocas comerciais.

Foi aqui, na Igreja de Almacave, uma das maiores jóias arquitectónicas do município, que D. Afonso Henrique reuniu as Primeiras Cortes, quando Portugal nasceu como nação independente.
Destas terras nascem as maçãs e as cerejas mais saborosas e a azeitona com que se faz um azeite de qualidade reconhecida em todo o país. Mas é a vinha que domina a paisagem e foi do vinho que as populações retiraram o seu principal sustento durante séculos.

A Arquitectura religiosa tem em Lamego uma expressão singular, até porque Lamego é uma das mais antigas dioceses do país. A Igreja de S. Pedro de Balsemão, classificada Monumento Nacional, é o segundo templo mais antigo da Península Ibérica. Há quem diga que foi construída durante a dominação visigótica, mas há quem defenda que tem origem no século X.
A Sé Catedral de Lamego nasceu antes da fundação da Nacionalidade, mas o edifício, tal como o conhecemos hoje, é fruto de uma construção posterior, no século XII.
As diversas reconstruções e acrescentos imprimiram-lhe uma variedade de estilos que se conjugam, tornando-a um dos mais belos monumentos da região.

Mais do que um espaço secular de oração, a Sé de Lamego é um verdadeiro museu onde estão guardados exemplares únicos da arte de diversas épocas. Destacam-se as abóbadas das três naves do interior, que foram pintadas pelo mestre italiano Nicolau Nasoni com cenas do Antigo Testamento. Crê-se que esta é a única obra de pintura desse artista, em Portugal, que sobreviveu ao tempo.
A Sé Catedral de Lamego é o ponto de visita obrigatória para quem visita a região, pelo seu significado histórico e cultural.

O Santuário de Nossa Senhora dos Remédios e o escadório, edificado no século XVIII, no cume do Monte de Santo Estevão, em honra da Senhora dos Remédios, são o ex-libris de Lamego.
O escadório, que se ergue desde o centro da cidade até ao cimo do Monte, está cheio de lugares sagrados e recantos surpreendentes. É provavelmente, o maior símbolo de devoção a Nossa Senhora dos Remédios. Em Setembro, dia e noite, Lamego vive intensamente a celebração da Romaria à sua padroeira. A cidade fervilha de emoções, acontecimentos culturais e religiosos: procissões, desfiles, folclore e muito, muito fogo-de-artíficio, bombos e bandas de música, que todos os dias levam a festa às ruas da cidade.

Todo o município está repleto de igrejas e capelinhas, pelourinhos, cruzeiros, aldeias históricas, pontes medievais e uma série de vestígios arqueológicos dos primeiros tempos do povoamento destas terras.
Os inúmeros visitantes de Lamego encontram história, tradição e uma forte herança cultural, mas também variadíssimos programas de lazer e desporto ao ar livre, graças às excelentes condições naturais para a prática de actividades desportivas, radicais e fluviais como pesca e canoagem nas águas límpidas dos rios Douro, Varosa e Balsemão.

Comentários

Já pensou onde quer ir na próxima viagem?.
Encontre aqui o Alojamento ideal para si!