8.4

A vila de Oleiros, sede de concelho, situa-se numa zona de grande beleza natural, numa zona montanhosa de xisto e argila, caracterizada pelas suas paisagens rurais de pinhais e abundantes cursos de água.
A primeira referência escrita relativa à vila de Oleiros data de 1194, não existindo muito material que possa auxiliar no posicionamento histórico desta vila, sabendo-se contudo, que durante a Idade Média, terá pertencido à Ordem do Hospital, e por ela terá sido desenvolvida.

Oleiros apresenta um interessante património religioso, como se pode observar na sua Igreja Matriz (século XVI e XVIII), na da Misericórdia datada do século XVI, ou a Capela de Nossa Senhora Mãe dos Homens (século XVIII).

O Património natural da região é uma dos maiores atributos desta vila, com locais aprazíveis como a Praia Fluvial, no aproveitamento da Ribeira de Oleiros, no sítio do Açude Pinto, muito frequentada durante o verão.

Símbolo patrimonial da região são os muitos Moinhos de Água espalhados pelo concelho, espelho da importante cultura do milho na região.
O pinheiro é hoje a principal árvore do concelho, existindo algumas unidades industriais de exploração do material e de outras especializações pela região, hoje em dia bem provida de meios de comunicação.

Na gastronomia tradicional da região de Oleiros encontram-se especialidades como o Cabrito estonado à moda de Oleiros, o Coelho à Caçador, a Perdiz assada ou as Trutas grelhadas, destacando-se também o Vinho Calum, cultivado na região, ao longo das margens da ribeira da Sertã. O vinho Calum é um tipo de vinho branco, muito ligeiro, de baixo teor alcoólico.

Comentários

Já pensou onde quer ir na próxima viagem?.
Encontre aqui o Alojamento ideal para si!