Passeio no Eléctrico 28 da Carris - Estrela / Graça

7.0

O Eléctrico 28 é um verdadeiro ex-libris de Lisboa, e uma das melhores formas de conhecer a cidade.

Das janelas deste pitoresco meio de transporte podemos apreciar todo o património histórico e natural que Lisboa tem para oferecer, desde a imponente Basílica da Estrela até ao monumental Castelo de São Jorge, na zona medieval da capital.

O Eléctrico 28, ou "Amarelo" como é carinhosamente apelidado pelos habitantes de Lisboa, faz parte de um conjunto de veículos originalmente importados dos Estados Unidos em 1901 com o objectivo de subtituir as antigas carruagens puxadas a cavalo, que eram o principal meio de transporte na altura.

Podemos começar a nossa viagem em plena baixa de Lisboa, na Rua da Conceição por exemplo, e subir até ao Chiado, um dos bairros mais cosmopolitas e históricos da cidade, entre o Bairro Alto e a Baixa. Aqui encontramos as mais diversas lojas de designers, galerias de arte, restaurantes, cafés (a famosa Brasileira com a célebre estátua do poeta Fernando Pessoa), livrarias, teatros (a ópera do São Carlos e o São Luíz), bem como o elevador da Bica e o Miradouro de Santa Catarina, também conhecido como Adamastor.

Descemos pela Calçada do Combro, que nos leva até à Assembleia da República, um dos mais importantes orgãos de soberania nacional, e a partir daí voltamos a subir em direcção à Estrela, que nos oferece um relaxante passeio pelo seu magnífico Jardim, repleto de imponentes dragoeiros e jacarandás. Antes de regressar, não podemos deixar de visitar também a magnífica Basílica da Estrela, uma das mais brilhantes realizações do Barroco tardio em Portugal.

Já no percurso de volta, dentro da carruagem de madeira do nosso "Amarelo" 28, seguimos viagem em direcção à zona oriental da cidade. Entre solavancos, descemos de novo até à Baixa, com o Arco triunfal da Rua Augusta em destaque, e a esplendorosa Praça do Comércio mesmo ali ao lado, resultado da reconstução da cidade depois do terramoto de 1755. Daí passamos a Igreja da Madalena e começamos a subir em direcção à monumental Sé Catedral de Lisboa, datada do século XII, e edificada sobre a antiga mesquita muçulmana da cidade.

O velhinho eléctrico continua a íngreme subida, passa pelo imperdível Miradouro de Santa Luzia até desaguar no Largo das Portas do Sol, de onde se pode apreciar uma das mais belas vistas que Lisboa tem para oferecer. A partir daí embrenhamo-nos no velho e estreito casario de Alfama, bairro típico de Lisboa, berço do Fado. As labirínticas ruas desta zona da cidade, esquecida pelo tempo, são um verdadeiro desafio à passagem do 28, que teima em passar, apesar do pouco espaço existente.

Triunfante, o 28 continua pela Calçada de São Vicente, passa a Voz do Operário, e chega finalmente ao vibrante e luminoso Largo da Graça, empoleirado na mais alta colina de Lisboa. Não deixe de visitar os Miradouros da Graça e da Senhora do Monte, vai ficar arrebatado com tudo o que pode observar a partir destes locais de visita obrigatória.

A partir daqui sugerimos que se despeça do nosso amigo 28, e regresse a pé até à Baixa. Aproveite a proximidade do Castelo de São Jorge, e surpreenda-se com a vista panorâmica sobre toda a zona do Vale de Lisboa e Rio Tejo que o local lhe oferece.

Um passeio que vale a pena fazer cedo pela manhã, de maneira apreciar a inconfundível luz que a cidade de Lisboa tem para oferecer, as suas cores e cheiros...

O nosso fiel guia, o Eléctrico 28, vai lá estar sempre à nossa espera, para nos dar a conhecer uma Lisboa única e que não se pode verdadeiramente conhecer de outro modo.

Um conselho aos mais incautos. Dado que o Eléctrico 28 percorre um dos trajectos mais turísticos da cidade, é palco para muitos carteiristas e amigos do alheio, que funcionam muitas vezes em casal. Fique especialmente atento aos seus pertences.

Bom passeio !!!

Comentários

Já pensou onde quer ir na próxima viagem?.
Encontre aqui o Alojamento ideal para si!