8.5

Cidade sede de concelho, pertencendo à Península de Setúbal, o Seixal tem a sua mais valia na bonita baía natural que lhe conferiu uma fortíssima ligação ao Rio Tejo ao longo dos séculos.
De facto, a Baía do Seixal tem sido aproveitada desde o tempo de ocupação Romana, e teve uma imensa importância nos séculos XIV e XV, para o sucesso dos Descobrimentos, com a instalação dos estaleiros navais, como testemunha o Núcleo Naval de Arrentela, onde se podem apreciar vários modelos de embarcações tradicionais do Tejo e visitar a oficina de construção.
Terra de pescadores e de quintas senhoriais, o Seixal desenvolveu-se ao longo dos séculos sempre ligado ao Rio Tejo, recolhendo dele muito dos seus alimentos e dele se servindo para a produção, exportação e importação de outros.
Já em finais do século XIX e inícios do século XX toda a região foi marcada por um forte desenvolvimento industrial, que ainda hoje é visível mesmo da Baía, através das unidades fabris envolventes, que viam no rio um excelente meio de comunicação.
Desenvolvendo a indústria, desenvolveu-se igualmente o leque de profissões e toda a malha urbana e residencial, que hoje é extensa.

O município do Seixal apresenta inúmeros pontos interessantes de visita, com grande destaque para o seu Eco-Museu, com sede na Torre da Marinha, contando com o Moinho de Maré de Corroios (mandado construir em 1403 por D. Nuno Álvares Pereira),entre vários outros moinhos de maré no seu núcleo museológico. Digno de registo é igualmente todo o Património natural da área do concelho, marcado essencialmente pela ocupação de cerca de 10% do seu território por Reserva Ecológica Nacional, onde se integra o Sapal de Corroios, o Sapal de Coina e o Sapal do Talaminho.
O Património religioso está presente na Igreja de Nossa Senhora da Conceição (datada de 1728, com posteriores remodelações), na Igreja de Nossa Senhora do Monte Sião da Amora, na Igreja do século XIV de Nossa Senhora da Graça em Corroios, na Igreja de finais do século XV da Nossa Senhora da Consolação na Arrentela, entre tantas outras fortes tradições religiosas espalhadas pelo município.
A Quinta da Fidalga e o seu bonito Lago de Maré, a Quinta da Trindade ou a Fábrica de Cortiça Mundet são registos históricos da interessante evolução do Seixal ao longo dos anos, merecendo também referência os núcleos urbanos antigos do Seixal, da Arrentela, da Amora de Cima e Amora de Baixo e da Aldeia de Paio Pires.

Comentários

Já pensou onde quer ir na próxima viagem?.
Encontre aqui o Alojamento ideal para si!