Torre do Bugio ou Fortaleza de São Lourenço da Cabeça Seca

8.1

 

Classificação:
Monumentos; locais de interesse público; fortes e fortificações

Uma das mais curiosas construções de defesa marítima, não só pelo local onde se encontra mas também pela sua arquitectura, o Bugio é uma verdadeira sentinela de vigia da entrada no estuário do Tejo.

A primeira «fortificação» aqui erigida era pouco mais que uma base de madeira para algumas peças de artilharia. Só por volta de 1593, sob a direcção de Frei João Vicêncio Casale, se iniciou a construção da fortificação.

Para este trabalho foram construídas embarcações próprias destinadas ao transporte dos materiais de construção, especialmente pedra trabalhada na Feitoria, no local onde se situa hoje a Piscina Oceânica.

A torre central tem um farol. Embora não se saiba bem quando foi instalado o farol, sabe-se sim que foi modernizado em 1836.

A Torre do Bugio constitui um excelente exemplo de fortaleza renascentista de planta redonda, tendo sido projectada por um arquitecto italiano a trabalhar em Portugal e, segundo Rafael Moreira, inspirada no Castelo Sant´Angelo de Roma.

A Torre integra uma capela com retábulo-mor em embrechados de mármore e paredes e tectos forrados a madeira.

Muito recentemente esta construção esteve ameaçada, devido à erosão do mar sobre o seu suporte rochoso. A estrutura exposta à fúria das ondas sofreu vários danos, que ameaçaram todo o edifício.

Após vencidas algumas dificuldades administrativas, acabaram por ser levadas a cabo obras de reparação e consolidação da Fortaleza.

 

Comentários

Já pensou onde quer ir na próxima viagem?.
Encontre aqui o Alojamento ideal para si!