8.4

Vila do Conde é uma lindíssima cidade do Norte de Portugal, sede de concelho, situada na margem do Rio Ave, bem próxima do mar, e um importante centro industrial, porto de pesca e, cada vez mais, centro turístico.

As origens da localidade são bem antigas, tendo existindo um castro Celta no século VIII a.C, no monte sobranceiro ao Rio Ave. A partir do século III a.C é ocupada por Romanos que escolhem deslocar a população para terras baixas, em volta do monte. Vila do Conde foi também povoada por Suevos, entre os séculos V e VI.
Já em inícios do século XIV é edificado o Mosteiro da Ordem de Santa Clara, que iniciou um franco desenvolvimento no estilo de vida da povoação.
É durante os século XV e XVI que Vila do Conde vive o seu apogeu, com o período e o desenvolvimento do comércio marítimo, alterando a estrutura da localidade a nível estrutural, arquitectónico, social e humano.

Vila do Conde sempre teve uma forte ligação com o mar, que se cravou ainda mais com a construção do estaleiro naval na época dos Descobrimentos. O Património desta tranquila cidade é de uma importância e beleza única, como é possível comprovar no lindíssimo Mosteiro de Santa Clara com a sua Igreja e Casa Conventual, mas também noutros locais como o majestoso Aqueduto de 999 arcos de inícios do século XVIII, a Igreja Matriz do século XVI, a Capela de Santa Catarina (século XV), as Igrejas de São Francisco e a da Misericórdia, as capelas de S. Roque e a de S. Bento, ou o Castelo de São João Baptista, também conhecido por Forte, localizado na bonita Foz do rio Ave, construído para proteger o porto e a entrada no rio e na cidade, não esquecendo os importantes estaleiros navais de construção em madeira, actualmente situados na freguesia de Azurara, remontando aos princípios da Nacionalidade.

A não perder é toda a herança arqueológica da região, destacando-se o Castro de São Paio, em Labruge, com as ruínas de uma povoação piscatória pré-romana e o Castro de Bagunte, com vestígios de ocupação castreja entre o primeiro milénio a.C. e o século IV d.C.

Por todo o concelho existem diversas casas senhoriais que atestam a riqueza que os férteis terrenos, o rico mar, e o infindável oceano trouxeram ao longo dos anos.

As praias da região são também de grande beleza, atraindo bastantes visitantes no verão.

Vila do Conde é sobejamente conhecida pela sua produção artesanal, nomeadamente pelas Rendas de Bilros, numa tradição que remonta ao século XVI, e que está devidamente registada no interessante Museu das Rendas, e preservada na Escola de Rendas. O artesanato da região está fortemente representado na Feira Nacional que acontece anualmente entre Julho e Agosto e reúne inúmeros visitantes.

Comentários

Já pensou onde quer ir na próxima viagem?.
Encontre aqui o Alojamento ideal para si!