Casa das Imagens partilha história do cinema

Setúbal
Tv. do João Galo, 8

Información

A Casa das Imagens Lauro António – Biblioteca, Mediateca e Arquivo foi inaugurada no dia 8 de maio, numa cerimónia repartida entre o Fórum Luísa Todi e o novo equipamento cultural municipal que partilha com o público uma parte do arquivo pessoal do cineasta.

“Lauro António é o responsável por aqui estarmos hoje. Por isso, em nome de Setúbal, agradeço a generosidade de nos ter entregado parte do espólio que reuniu ao longo da vida. A partir de agora, pode ser visto e sentido por todos os que gostam de cinema”, destacou a presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Maria das Dores Meira, na sessão inicial, realizada no Fórum Municipal Luísa Todi.

A Casa das Imagens está localizada no número 8 da Rua da Velha Alfândega, contíguo à Biblioteca Pública Municipal de Setúbal, num edifício que foi alvo de obras de requalificação para receber o acervo doado por Lauro António ao município, com perto de 50 mil peças, em diferentes conteúdos, relacionadas com os audiovisuais.

Uma biblioteca possui publicações de cinema, audiovisuais e televisão, assim como de banda desenhada e cartoons, revistas especializadas de cinematografia, enciclopédias gerais e obras generalistas.

O equipamento está ainda dotado de uma mediateca com uma coleção de filmes com 1500 cassetes VHS e 10 mil DVD e Blu-Ray, além de CD, discos em vinil, cassetes-áudio, cartazes, fotografias e material publicitário de filmes.

Entre as várias peças expostas, contam-se a placa exterior do Cinema Condes, um anúncio luminoso do Cinema de Cascais, a placa de saída do Cinema Odéon, a coleção de Bonecos de Estremoz, uma máquina para ver fotografias em vidro, vários carregadores de fotografias e textos originais manuscritos e datilografados.

Uma máquina de escrever, o tripé utilizado, em 1980, na rodagem do filme “Manhã Submersa” e alguns dos inúmeros prémios que Lauro António recebeu ao longo da carreira também estão presentes.

O novo equipamento cultural promove, igualmente, exposições intimistas, a primeira das quais, inaugurada agora é dedicada ao filme “Manhã Submersa”, bem como exibições de filmes antigos para crianças e de ciclos temáticos e tertúlias com atores, produtores e realizadores.

Alguns ciclos temáticos são acompanhados do lançamento de um livro, editado pela Câmara Municipal de Setúbal, no qual Lauro António partilha conhecimentos sobre várias épocas do cinema.

A primeira obra, “Alguns Momentos-Chave do Filme Negro Norte-Americano”, apresentada no Fórum Municipal Luísa Todi, aborda os aspetos mais significativos e particulares desse período do cinema das décadas de 40 e 50, os seus filmes e os seus protagonistas, além de fazer um enquadramento social da época.

A presidente do município considera que este é um investimento do qual a autarquia se orgulha, pois constitui “mais um passo na criação de uma cidade onde a cultura faz parte da vida de todos”.

Maria das Dores Meira sublinhou outros importantes projetos concretizados nos últimos anos que se traduziram num “investimento sem paralelo na promoção e divulgação da cultura em Setúbal”, como a Casa da Cultura, A Gráfica – Centro de Criação Artística e a reabilitação do Fórum Municipal Luísa Todi, do Cinema Charlot – Auditório Municipal, do Museu do Trabalho Michel Giacometti e do Museu de Setúbal/Convento de Jesus.

“Era preciso acabar com uma narrativa muito comum há vinte anos quando se dizia que Setúbal não tinha Cultura. Sempre teve, mas não era suficientemente valorizada. Hoje, podemos dizer que sim, que é valorizada. Esta casa é mais um dos pontos dessa valorização.”

Maria das Dores Meira espera que a Casa das Imagens seja um “ponto de passagem obrigatória para todos os que gostam de cinema”, desejo partilhado por Lauro António, presente na inauguração.

“Será muito bom para mim se esta casa for fruída pelos setubalenses, e não só. Está aberta a todos os que a queiram visitar e gostaria muito, que através do acervo que disponibiliza, possa sensibilizar, sobretudo os mais pequenos, para o gosto pelo cinema”, indicou o cineasta.

Lauro António, que interveio após a exibição de dois filmes, sobre a sua vida e obra e sobre a Casa das Imagens, explicou as razões pelas quais escolheu Setúbal, onde dinamiza ciclos de cinema, para doar parte do arquivo pessoal que colecionou durante toda a vida.

“Quando falei com senhora presidente na possibilidade de doar ao município o meu acervo para ser partilhado com o público, ela mostrou logo um grande interesse. Se eu já tinha vontade de escolher Setúbal, nesse momento tive a certeza.”

Outra razão deve-se à “proximidade aos setubalenses” proporcionada pelo projeto Lauro António Masterclass, com sessões comentadas, gratuitas, todas as segundas-feiras no Fórum Municipal Luída Todi,

“O interesse demonstrado pelo público tem sido muito reconfortante. Por isso, esta é uma das principais razões pelas quais escolhi Setúbal.”

A estreia no Fórum Luísa Todi, nos anos 80, da primeira peça de teatro que escreveu e encenou, “A Encenação”, e o facto de ter estado na fundação do Festroia – Festival Internacional de Cinema de Setúbal contribuem, também, para a “forte ligação” com a cidade sadina.

A cerimónia seguiu depois para o novo equipamento cultural dedicado ao cinema, onde Maria das Dores Meira, Lauro António e o presidente da Assembleia Municipal de Setúbal, André Martins, descerraram a placa de inauguração.

A Casa das Imagens Lauro António – Biblioteca, Mediateca e Arquivo, a funcionar de segunda a sexta-feira, das 10h00 às 18h00 e ao sábado das 14h00 às 18h00, tem por missão a recolha, proteção, preservação, conservação, divulgação e dinamização do património audiovisual, promovendo em permanência a construção do conhecimento sobre a sua história, atualidade e futuro.

Afirma-se como espaço de fruição do cinema e do audiovisual, nas suas múltiplas vertentes, com disponibilização gratuita e presencial de bibliografia temática e filmes.

Leer también

publicado 10/05/2021

Mapa

Ciudad Online

Escolha o Idioma