7.9

Montijo é uma cidade sede de concelho, situada na região de Lisboa, sub-região da Península de Setúbal, contando com duas partes bem diferenciadas no seu município: a zona do estuário, populosa e ligada ao rio Tejo, e a zona da Charneca, mais rural e afastada do litoral.
A cidade do Montijo é fortemente marcada pelo Rio. No século XVI a localidade teve um grande desenvolvimento, muito marcante, devido à vinda de trabalhadores oriundos de diversas regiões do País, para participar nas obras que visavam tornar o rio navegável, contrariando a sua tendência de assoreamento. Esta obra marcou definitivamente a povoação e possibilitou a diversificação da economia local, que até então dependia exclusivamente da actividade piscatória.
Desde essa época, o Montijo foi um local de passagem obrigatório de todos aqueles que, até ao século XIX, de Lisboa viajavam para o Alentejo ou vice-versa. Assim, pelo Montijo circularam ao longo dos séculos importantes viajantes que contribuíram para o desenvolvimento da vila e a tornaram pólo de uma grande dimensão comercial.
Hoje em dia, o Montijo continua a sofrer um forte desenvolvimento residencial e urbano, devido sobretudo à inauguração, em 1998, da ponte Vasco da Gama, ligando o Montijo à outra margem do rio Tejo, a Lisboa.
Do Património mais relevante do Montijo, destaca-se a sua bonita Igreja Matriz do Espírito Santo, século XV, mas bastante alterada em inícios do século XVII. Perto, a Igreja do Samouco, séculos XVII e XVIII, é outro motivo de orgulho local.
A poucos quilómetros da sede do concelho, a Igreja de Nossa Senhora da Atalaia, na povoação com o mesmo nome, é local de devoção popular pelo menos desde o século XV.
Como quase todas as localidades do Ribatejo, o Montijo tem grandes tradições de festa brava, sendo as touradas e as largadas de touros imprescindíveis nas Festas mais características da cidade, como as Festas de São Pedro que se realizam anualmente no final de Junho.
Com uma rica gastronomia Ribatejana e uma boa oferta de restaurantes e tasquinhas típicas, encontram-se na região os mais diferentes pratos, como entrecosto e couratos na brasa, torresmos, língua fumada de coentrada, ensopado de enguias e a célebre caldeirada à pescador, com a sua rica variedade de peixe fresco.


Comentários

Já pensou onde quer ir na próxima viagem?.
Encontre aqui o Alojamento ideal para si!