8.2

Situada na região do Alto Douro, numa área de terras xistosas também conhecidas como “Terra Quente”, Vila Nova de Foz Côa é uma cidade, sede de concelho, que viu o seu nome correr fronteiras pela descoberta e classificação como Património Mundial da Humanidade pela UNESCO das suas gravuras rupestres paleolíticas ao ar livre no vale do Rio Côa, um dos maiores centros arqueológicos de arte rupestre da Europa.
Região maioritariamente agrícola, é também conhecida como a “Capital da Amendoeira”, devido à grande densidade desta árvore no concelho, em parte derivada do especial microclima de cariz mediterrânico que aqui se faz sentir, permitindo paisagens sem igual quando estas amendoeiras florescem e vestem os campos de branco e rosa, normalmente na segunda semana de Fevereiro prosseguindo até aos primeiros dias de Março.
Este mundo agrícola molda a paisagem de vinha, olivais e das referidas amendoeiras, permitindo panoramas únicos de grande beleza, por entre montes e vales, onde cursos de água abundam.
Por todo o concelho existem Aldeias Rurais, xistosas, onde a tradição e costumes ainda imperam.
Perto de Vila Nova de Foz Coa, está a localidade de Numão, um importante bastião aquando da ocupação romana, e onde se encontram ainda as ruínas de um castelo do século X, bem como interessantes casas Judaicas.
O valor Patrimonial do concelho de Foz Côa é grande, numa zona de grande interesse arqueológico, tenoo mesmo sido descobertos e classificados cerca de 195 sítios. Por estas paragens se encontram castelos, castros, igrejas, capelas, pelourinhos, solares, pontes e estradas romanas, que demonstram o marco das populações que aqui habitaram e escreveram a história durante séculos.
Na cidade de Vila Nova de Foz Côa atesta-se o fervor religioso na sua bonita Igreja Matriz, de fachada Manuelina, e nas muitas Capelas, como a de Santa Quitéria (que se pensa ter sido outrora uma sinagoga), a de São Pedro e Santa Bárbara ou a barroca Capela de Santo António. Algumas casas senhoriais e brasonadas enriquecem o património arquitectónico da cidade, como a Casa dos Andrades. A Torre do Relógio, no sítio do Castelo, demonstra a arquitectura militar de outros tempos.
A gastronomia fozcoense é bastante apaladada e rica em pratos variados, entre os produtos vindos dos férteis solos locais, como vegetais e fruta bem fresca, e o afamado vinho, com o famoso “Barca Velha”. O Azeite da região é igualmente afamado, baseando-se os pratos no principal ingrediente presente na boa mesa Portuguesa: o Pão. O Peixe fresco do Rio Douro, o Cabrito assado, pratos de caça e a carne de porco, são presenças habituais na cozinha da região.

Comentários

Já pensou onde quer ir na próxima viagem?.
Encontre aqui o Alojamento ideal para si!